domingo, 11 de outubro de 2009

Anticrist #5



É através de um prólogo que se inicia o filme " Anticristo ", de Lars Von Trier.
Nas imagens iniciais, em preto e branco e câmera lenta, ( fotografia surrealista de Anthony Dod Mantle) um casal faz sexo enquanto o bebê sai do berço e pula uma janela. Com a morte da criança, eles (os personagens não tem nome ) entram em luto intenso. Esse é o cenário inicial da polêmica obra do Lars Von Trier, que declarou recentemente ser "o melhor diretor de cinema do mundo".
Sendo o melhor ou não, Lars Von Trier  mexe nas nossas feridas e não nos deixa sair indiferentes a seu mais recente e sincero filme. Depois do prólogo, somos entregues a outras partes do longa. Dividido em capítulos (Luto, Dor, Desespero e Os três mendigos) reforçando a ideia de que foi inspirado no livro" O anticristo " de Nietzsche, entre tantas outras influências. O filme é um Babel.
Em interpretações definitivas, a mulher escritora ( Charlotte Gainsbourg) e o homem Psicanalista (Willem Dafoe) são os únicos personagens da obra-prima. Depois da morte vem o luto - E nesse período, ele decide tratá-la em casa para enfrentarem seus medos juntos. Então retornam a Éden (sim ! Como Adão e Eva), uma cabana no meio da natureza pura. No éden, a mulher acredita estar a raiz do seu medo, depressão e angústia , pois foi ali onde ela esteve antes e criou alguns de seus traumas .O marido então resolve começar o processo de redescobrimento, aí que coisas estranhas começam a acontecer num terror psicológico: sonhos, sons e visões confundem até a nós mesmos.O que está acontecendo ali? E isso talvez seja a maior característica do filme. Podemos interpretá-lo de inúmeras maneiras. Tudo ali é realismo puro, ou não.

Reforçando o terror psicológico do filme, a cena, entre outras, em que a raposa diz " O caos Reina" foi considerada por muitos "trash", porém, num filme em que a razão e as emoções se chocam a todo tempo ela é imprescindível como tantas outras cenas. Algumas nem tão compreensíveis e de fáceis digestão,verdade, como as cenas de tortura e mutilação genital, imagens que no longa causam maiores reações.

Depois de muitas tentativas em busca de uma possível salvação, do Luto ao Desespero, o casal fracassa e chega ao seu extremo limite, talvez a loucura .Se a intenção era de encontrar a redenção, essa já não foi possível. Reservado para eles estavam o encontro com o seu verdadeiro "eu"- Cheio de mistérios, metáforas, simbolismos - Mistura de religiosidade( um toque - apenas algumas ligações com o título), psicologia, o sexo... Um pouco da mente de Lars von Tries, influenciado por Andrei Tarkovski talvez , cineasta que causava tanta inquietação como ele, justificado a dedicação para esse no final do filme.

Anticristo é difícil. Nada é gratuito - algumas coisas nem fazem sentido ali - isso foi dito pelo próprio diretor para a impressa em alguns festivais. Tentando definir o filme, podemos dizer que é um mergulho (ou seria uma queda?) na mais profunda dor e depressão. E não seria qualquer um, involuntariamente ou não, capaz de suportar esse des(gosto) provocado pela obra do diretor. Ora sádico, Ora magistral.

Nota : 10
Diretor : Lars Von Trier
Elenco : Willem Dafoe e Charlotte Gainsbourg
Gênero: Terror /Drama
País: Dinamarca
ano: 2009
Classificação: 18 anos

14 comentários:

  1. Brunão, que filme heim

    não assisti ainda
    mas deve ser muito bom.

    Ótimo texto
    abraço

    ResponderExcluir
  2. Não creio que ainda não vi esse filme...To deixando pra depois,ninguém quer vê-lo comigo =/

    ResponderExcluir
  3. Olá, Bruno!

    Feliz dia das crianças! (rsrsrsrsrs) Ótimo feriado!

    Valeu pela dica de filme! Excelente! Vou assistir!

    Um abração!

    Pedro Antônio

    ResponderExcluir
  4. Nossa tive uma amiga que assistiu e disse que não quer saber desse filme nunca mais na vida..Aê me deu mais vontade de assistir e a sua opinião ficou muito bacana...
    Valeu pela dica ;)

    ResponderExcluir
  5. ESSE FILME È FANTASTICO ADOREI UM DOS MELHORES E MAIS COMPLEXOS QUE JÁ VI

    ResponderExcluir
  6. Eu sou hiperfã de Lars Von Trier... e sabe de uma coisa? O fanatismo se reitera a cada filme.

    Espetacular e assombroso!

    Seu texto, pontual.

    Abraço =D

    ResponderExcluir
  7. Opaa Fera,
    Obrigado pela visita.

    Todos poemas são sim meus.

    Fiz o blog literalmente para posta-los e mostrar um pouco do que há em mim...

    Sobre o filme, confesso que fico um pouco meio dramatizado rsrs ...
    Mas parece ser bom, nem sempre é bom julgar o livro ( conteúdo ) pela cara.

    bom, é isso ...
    Apareço mais vezes, pode ter certeza.
    E aparece lá !

    Super Abração,
    Obrigada mais uma vez;

    ResponderExcluir
  8. Oi Bruno,
    Parabéns pela resenha, já havia lido sobre esse filme em outros blogs, mas como você descreveu perfeitamente a obra. Agora, que sei sobre o que se trata, não sei se me assustei ou achei totalmente psicodélico sobre esse filme!!!
    Fiquei entre dois lados, assistí-lo ou não?
    Mas que seu texto me despertou uma curiosidade sobre esse filme, não tenho como negar!

    Parabéns e muito sucesso!!!!
    ABRAÇOS

    ResponderExcluir
  9. Alias já te sigo e já te coloquei no meu blog, desculpe o atraso!

    E muito bom seu blog, continue com textos ótimos!!!

    ABRAÇO duplo

    ResponderExcluir
  10. Ainda não assisti este longa, mas Lars Von Trie sempre primou pela polêmica, desde o lançamento do Movimento Dogma na década de 90. Acredito que ele tenta valorizar seus filmes de todas as formas. Não deixa de ser um estilo de marketing.

    Valeu pela visita ao meu blog, estou linkando seu endereço lá.

    Abraço

    ResponderExcluir
  11. Em se tratando de Lars Von Trier, o filme deve ser excêntrico, claustrofóbico e perturbador. Não vou perder!!!

    ResponderExcluir
  12. Pq o Dafoe foi escolhido pra ser o ator do filme? Por que ele tem um pênis enorme? bom pra ser filmado?

    ResponderExcluir